quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Nothing to say...



Tenho que pedir que me desculpem, minhas queridas, e que não levem a mal, pois tudo o que consigo dizer é que estou sem palavras. E não é aquele "sem palavras" cliché, do transcendentemente espectacular... É um "sem palavras" de quem não sabe o que dizer, de quem nem sabe se tem uma opinião...
Talvez o erro seja meu, por estar aqui a fazer comparações, mas não foi nenhuma "BTE". Mas também não podia. Os tempos são outros, muita coisa mudou. OK, nem tanta, mas mudou uma que não me deixa ser a mesma pessoa naquela casa. Ou seja, eu também mudei e portanto nada podia ser igual. Vendo bem, eu não queria uma igual. Querem-se experiências novas, não repetidas, por melhores que sejam as velhas...
Há quase um mês que fomos, há quase um mês que voltamos, mas as minhas costas ainda não encaixam no colchão e a minha cabeça rejeita a almofada. Algo está errado aqui. E por isso sei que tenho que voltar. Com vocês, com outros, com velhos, com novos..? Não sei, a sério que não sei.
Já pensei em desistir destas aventuras loucas e deixar para a família o que à família pertence. Porque o que eu queria era mostrar, partilhar aquilo que sinto quando lá estou. Mas não é só o recinto que conta, a companhia também. E tudo o que eu senti de bom naquele sítio, durante anos e anos a fio, durante todo o meu crescimento, foi em família. E sem ela presente, o que eu sinto é impartilhável...
Perdoem-me, porque nunca vou ver esta experiência de férias com os vossos olhos. Nunca vou pensar na casa da mesma maneira. Por mais que eu tente, as grandes memórias que ficam, e que eu vou guardar e acarinhar para sempre, não são as que têm sido criadas nos últimos tempos. São as que já cá estavam antes de vocês...
De qualquer forma, fico muito feliz que mais pessoas tenham boas memórias daquele sítio fantástico.

3 comentários:

  1. há falta de bom para se dizer não se diz nada.. tu disseste muito, maggie. já outras pessoas..

    ResponderEliminar